Blog

Meu filhote de gato chegou e agora? (Parte #3 Pulgas – Carrapatos – Mosquitos )

No artigo anterior você aprendeu um pouco sobre os parasitas internos que acarretam doenças perigosas nos gatinhos.

Clique AQUI para ler o artigo sobre parasitas internos

É hora de conhecer, também, o perigo de infecção por ectoparasitas (parasitas externos).

Você adotou ou adquiriu um gatinho filhote e está curtindo cada momento. É importante lembrar que, até os oito meses, eles são bem frágeis e estão suscetíveis a uma série de parasitas que podem acometê-los de doenças graves, colocando em risco seu desenvolvimento e sua vida.

Os pequenos felinos podem chegar ou se infectarem com vermes, pulgas, carrapatos e outros parasitas. Somente o médico veterinário poderá indicar os medicamentos e os produtos adequados para combater os parasitas e proteger seu bebê felino, considerando idade, porte, ambiente e origem.

A vermifugação também protege sua família, pois muitos dos parasitas podem infectar os seres humanos.

  • Pulgas: É um sofrimento para o filhotinho. Causam intensa coceira, feridas, queda de pelos e podem originar a DAPP (Dermatite Alérgica à Picada de Pulgas)

Também infectam o felino com verminoses, como a Dipilidiose que provoca diarreia, perda de peso, etc, e pode atrapalhar o crescimento do filhote, quando a infestação for severa.

  • Carrapatos: Provocam anemia, além perigosas doenças que levam à morte, em muitos casos.

Transmitem a bactéria que causa a Erliquiose Felina “Doença do Carrapato”, enfermidade infecciosa grave que, nos gatos, tem entre os sintomas febre, anorexia, fraqueza muscular, secreção nasal purulenta, insuficiência hepática e renal.

Babesiose é outro mal perigoso causado pelos carrapatos. Embora poucos casos tenham sido notificados em gatos, no Brasil, vale sempre prevenir, livrando seu pet dos carrapatos.

  • Ácaros: acarretam desagradáveis doenças de pele e de ouvido, como as sarnas. As mais comuns nos gatos são a Sarna Otodécica – acomete os ouvidos, causando coceira e feridas – e a Sarna Sarcóptica, que além de judiar do filhote com coceira e infecção da pele, é contagiosa também para seres humanos.
  • Fungos: atingem principalmente os gatos e podem originar a Esporotricose, uma doença de pele caracterizada por lesões e feridas em diferentes partes do corpo. Nos felinos, o mal provoca maior número e mais graves lesões do que em outros animais e no ser humano.  

Em alguns casos pode acometer o sistema linfático ou mesmo todo o organismo do gatinho, colocando sua vida em grave risco. O tratamento é longo e exige cuidados para evitar ser contaminado

Quer saber mais sobre a consulta do especialista em felinos? Clique AQUI.

Prevenção e combate salva a vida do seu filhote

Todos estes males podem ser combatidos ou evitados com um programa de controle parasitário bem definido pelo veterinário. O profissional saberá indicar antiparasitários adequados para tratar a maior variedade de agentes infectantes; considerando o tipo de problema e as características individuais e ambientais do seu pet.  

Para evitar a ação dos parasitas externos, como pulgas, carrapatos e mosquitos, existe uma série de produtos no mercado, em diferentes apresentações (comprimido, spray, coleira, etc).  Também cabe ao veterinário indicar quais métodos são mais eficazes para cada região e situação.

Tanto a vermifugação, quanto o uso de produtos que previnem as infestações de parasitas externos, devem ser realizadas regularmente sob orientação profissional. A frequência de tratamentos varia com a região em que você está, com base na prevalência dos parasitas, entre outros fatores.  

Paralelamente, devemos cuidar do ambiente com higienização adequada e cuidados no recolhimento das fezes, sempre utilizando luva e utensílios para evitar contato com a pele.

Importante: jamais medique seu pet por conta própria, em qualquer fase da vida. Medicamentos incorretos e em doses equivocadas podem matar seu pequeno novo amigo.

Share this post

Related Post

Gatos também vão ao dentista! Saúde bucal exige atenção e tem profissional especializado

Cuidar da saúde bucal dos felinos desde cedo é fundamental para evitar doenças sérias, que colocam em...

Castrar ou não Castrar

No post anterior falamos sobre a importância dos cuidados dentários com seu pet. Neste artigo, você saberá...

Meu filhote de gato chegou e agora? (Parte #2 Desverminação)

No artigo anterior, abordamos os cuidados básicos na chegada do gatinho com até três meses. Clique AQUI...