Blog

Meu filhote de gato chegou e agora? (Parte #2 Desverminação)

No artigo anterior, abordamos os cuidados básicos na chegada do gatinho com até três meses.

Clique AQUI para ler o artigo a chegada do filhote de gato

Neste texto trazemos informações importantes sobre o perigo dos endoparasitas (parasitas internos) e como proteger seu pet.

Parasitas causam uma série de doenças e são perigosos para os gatos, sobretudo, se forem filhotes. Para protegê-los, é necessário vermifugação e prevenção adequada  

Você adotou ou adquiriu um gatinho filhote e está curtindo cada momento. É importante lembrar que, até os oito meses, eles são bem frágeis e estão suscetíveis a uma série de parasitas que podem acometê-los de doenças graves, colocando em risco seu desenvolvimento e sua vida.

Os pequenos felinos podem chegar ou se infectarem com vermes, pulgas, carrapatos e outros parasitas. Somente o médico veterinário poderá indicar os medicamentos e os produtos adequados para combater os parasitas e proteger seu bebê felino, considerando idade, porte, ambiente e origem.

A vermifugação também protege sua família, pois muitos dos parasitas podem infectar os seres humanos.

Verminoses

  • Vermes “redondos” (nematóides) e “chatos” (cestóides): os que mais afetam os gatos são o Toxocara cati e o Toxocara leonina, este com proliferação abundante: a fêmea pode pôr até 300 mil ovos ao dia.   

A contaminação nos filhotes é bastante prejudicial, causando desde diarreia, apatia, vômitos, anemia, inchaço na barriga, até bloqueio do sistema digestivo e convulsões. Os gatinhos podem ser contaminados pela ingestão de ovos e larvas no ambiente; de hospedeiros intermediários, como pulgas e piolhos; penetração via pele; lambedura; ou, ainda, durante a gestação ou amamentação

  • Verme do Coração: termo popularmente aplicado à Dirofilariose, originada por um verme transmitido por mosquitos culicídeos. A doença também pode acometer os gatos, atacando os sistemas cardiorrespiratórios e levando-os a morte, se não tratada a tempo.

Converse com seu veterinário sobre a incidência do agente transmissor na sua região e o melhor produto para proteger seu gatinho do mosquito.

Protozoários

  • Giárdia: o protozoário (organismo unicelular) infesta o intestino do felino pela ingestão de alimentos e água contaminados ou por contato com animais infectados.

Em filhotes pode acarretar diarreia aguda, levando à desidratação, letargia e perda de apetite, sintomas perigosos nesta fase.

  • Leishmaniose: é uma doença grave e potencialmente fatal. Mais comum em cães, vem aumentando sua incidência nos gatos, o que desperta a importância de protegê-los também do mosquito-palha (flebotomíneo) que transmite o parasita causador da doença.  

O tratamento é dispendioso e os órgãos de controle de zoonose costumam obrigar a eutanasiar os animais, sendo necessárias medidas judiciais para poder tratar o pet infectado. Consulte o veterinário sobre a existência de casos na sua região.

Quer saber mais sobre a consulta do especialista em felinos? Clique AQUI.

Share this post

Related Post

Gatos também vão ao dentista! Saúde bucal exige atenção e tem profissional especializado

Cuidar da saúde bucal dos felinos desde cedo é fundamental para evitar doenças sérias, que colocam em...

Castrar ou não Castrar

No post anterior falamos sobre a importância dos cuidados dentários com seu pet. Neste artigo, você saberá...

Meu filhote chegou e agora? (Check – Up de boas vindas)

Neste espaço, você encontrará artigos com alertas e dicas importantes para cuidar bem do seu gatinho, ajudando-o...