Blog

Castrar ou não Castrar

No post anterior falamos sobre a importância dos cuidados dentários com seu pet.

Neste artigo, você saberá sobre as perigosas doenças e consequências de não castrar seu filho de 4 patas na época adequada.

 

A castração dos nossos queridos pets é ainda, infelizmente, um tabu que precisa ser derrubado. Castrar cães e gatos é, em primeira análise, evitar o sofrimento futuro do pet e dos tutores, causado por doenças como o câncer, que são fatais, extremamente dolorosas e exigem tratamentos dispendiosos.

Castrar também impacta no comportamento e reduz o instinto de fuga. Seu cão ou gato não deixará de ser feliz, nem perderá sua essência, ao contrário, será mais tranquilo e terá muito menor probabilidade de fugir atrás de uma fêmea no cio, correndo risco de ser atropelado e morto; se machucar em brigas; além de se perder, adquirir doenças graves e se expor a outros perigos da rua.

A castração, ainda, é um ato de responsabilidade social que evita uma gravidez não planejada e contribui para redução de animais sem lar. De uma ninhada de dez filhotes, por exemplo, para quantos você garante arrumar lares confiáveis, que não abandonarão o animal no futuro?

O período ideal para castração pode variar de acordo com o porte e espécie do animal, então, converse com o veterinário sobre o melhor momento. Nas cadelas, por exemplo, nem sempre é recomendável a cirurgia entre o primeiro e o segundo cio e a castração precoce pode gerar patologias como a vagina infantil, que predispõe a doenças urinárias.  

Câncer, uma dolorosa experiência

Mais grave dos males evitados com a castração, a incidência do câncer de mama em cadelas e gatas têm crescido significativamente.

As felinas têm uma probabilidade assustadora de terem tumor maligno: cerca de 50% dos tumores mamários têm característica de malignidade, o que reforça a importância de protegê-las com o procedimento de esterilização. A chance se reduzirá se a gata for castrada antes do primeiro cio, por volta dos seis meses.

O grande número de casos e de mortes originou uma ação de conscientização. Muitos hospitais, clínicas e entidades aderiram ao movimento Outubro Rosa Pet com intuito de informar os tutores sobre a importância da castração para evitar a doença.

Machos também podem desenvolver câncer por não serem castrados. O risco de tumores nos testículos e na próstata é bem menor em animais que passaram pela esterilização.

Quadro

Risco de tumor de mama  

9% – gatas castradas antes do primeiro cio

8% – cadelas castradas após o primeiro

26% – em cadelas castradas depois do segundo cio

Perigos e complicações de não castrar

– A gravidez é sempre um risco e pode ter complicações sérias. Fêmeas não castradas também podem ter gravidez psicológica.

– O cio é sempre desconfortável para as meninas, que têm dores, precisam ser protegidas de acasalamentos e ficam impedidas de passear. O odor atrai cães da vizinhança, que podem acampar na sua porta por todo o período.

– Fêmeas não castradas podem ter Piometra, uma perigosa infecção uterina que acomete mais usualmente cadelas e gatas que tiveram vários cios. Caso não seja detectada logo no início, exige cirurgia e pode ser fatal.  

– Os machos não castrados, principalmente idosos, têm maior risco de terem hérnias perineais e a hipertrofia prostática, que causam infecções e outros problemas urinários.

– É muito mais fácil manter dentro de casa um gato castrado. Vivendo na segurança do lar, eles não estarão expostos a uma série de riscos, como atropelamentos e doenças.

Outro benefício é a redução de agressividade e da marcação de território, que realiza4 minutos

m urinando por vários locais da casa.  

Procedimento simples e de baixo risco

A castração é um procedimento cirúrgico que inclui riscos, mas bem menores se comparados aos inúmeros problemas que evitarão ao longo da vida do seu amigo.  

São várias técnicas para o procedimento, que serão escolhidas de acordo o quadro do animal e a preferência do cirurgião. O pós-operatório exige cuidados e administração de medicamentos, mas a recuperação é geralmente bem rápida, cerca de sete a 15 dias.

Para evitar o aumento de peso do pet após a castração, opte por alimentos específicos para animais castrados e mantenha uma rotina de passeios e prática de exercícios.

Karolyne Larocca Taveira
CRMV-SP 43884
Graduação em Medicina Veterinária

Share this post

Related Post

Gatos também vão ao dentista! Saúde bucal exige atenção e tem profissional especializado

Cuidar da saúde bucal dos felinos desde cedo é fundamental para evitar doenças sérias, que colocam em...

Dentista para cachorro? Descubra a importância dos cuidados bucal desde cedo

Cuidar da saúde bucal dos cães desde cedo é fundamental para evitar doenças sérias, que colocam em...

Meu filhote de gato chegou e agora? (Parte #2 Desverminação)

No artigo anterior, abordamos os cuidados básicos na chegada do gatinho com até três meses. Clique AQUI...